Uma perspectiva integrada da Astrologia Natal

O horóscopo ou mapa natal é a representação simbólica de um ser humano.

Cada ser humano tem uma dimensão física, emocional e mental, que constitui a sua personalidade. Esta dimensão é objecto de estudo da Astrologia Exotérica (também chamada Ortodoxa ou Astrologia da Personalidade).
Paralelamente, tem também uma dimensão transcendente, sublime, motivada por um propósito superior que dá unidade e sentido à sua existência. Este é o objecto de estudo da Astrologia Esotérica (também chamada Astrologia da Alma).

Assim, a Astrologia Ortodoxa estuda a Personalidade, enquanto a Astrologia Esotérica estuda - tanto quanto nos é dado entender - o Propósito da Alma (numa dada encarnação).

Sabemos que a personalidade, com os seus desejos e limitações é, numa primeira fase, o principal obstáculo do crescimento espiritual. Sabemos também que essa mesma personalidade se tornará, um dia, o veículo de manifestação plena da Alma.
Compreendemos, assim, que não faz sentido estudar as capacidades e impedimentos do "veículo" se não tivermos uma boa noção do propósito que deverá guiá-lo. Contudo, é igualmente certo que não adianta estudar o propósito, enquanto objectivo abstracto, sem fazermos ideia de quais serão as nossas capacidades e dificuldades ao procurarmos cumpri-lo.

A perspectiva Ortodoxa e a perspectiva Esotérica não estão, portanto, separadas. Indicam diferentes estados de Consciência, é certo, mas são passos de uma mesma caminhada.
O mapa natal será, então, o "mapa" desse caminho rumo à Consciência.

Se olharmos o mapa numa perspectiva integrada - que consiga abranger tanto a Personalidade como a Alma e a relação dinâmica entre as duas - veremos ali representado todo um potencial físico, emotivo, intelectual que, com esforço, determinação e coragem, poderá vir a ser posto ao serviço de um propósito maior.
Ali estão indicadas as limitações que impedem a manifestação plena desse potencial, mas ali estão também apontadas as formas de transcendê-las.

O mapa fala-nos, portanto da experiência humana. Seres em perpétuo crescimento, destacando-se progressivamente (por vezes a duras penas) dos condicionalismos cármicos, mentais e emocionais que os limitam. Seres que caminham sempre para a Liberdade, em direcção a uma participação mais consciente nos propósitos do Universo.

O que vamos estudar nesta sequência de artigos serão os primeiros passos de um conhecimento profundamente enraizado na própria natureza humana, por muitos considerado sagrado.

É por este motivo que a Astrologia, na sua dimensão mais profunda, é uma Disciplina Iniciática.

Helena Avelar


Nenhum artigo, tabela ou texto pode ser reproduzido sem autorização expressa do(s) autor(es)

© Copyright 2011, Helena Avelar e Luís Ribeiro